Quinta, 16 Março 2017 16:24

Deputada Janete diz que governo do Amapá é “perverso” com as mães do Renda

A deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) chamou de “perversa” a política que “corta benefícios de famílias pobres
Brasília, 14/03/2017 – A deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) chamou de “perversa” a política que “corta benefícios de famílias pobres, desemprega trabalhadores, parcela salários de servidores – mas, na outra ponta, aumenta os salários do governador e dos assessores mais próximos” e afirmou que essa decisão do governo de Waldez Góes “agravou a crise econômica e o sofrimento da sociedade amapaense”. Ela chamou de “gestão temerária”, no Amapá, redução do programa Renda Pra Viver Melhor e a demissão dos vigilantes das escolas estaduais.

Janete pediu que o governador reinclua no programa Renda Prá Viver Melhor todas as 15 mil famílias que ele mesmo excluiu e recontrate os vigilantes das escolas. Disse que eles “não podem pagar a conta da incapacidade dos governantes”. As afirmações foram feitas em discurso no Plenário da Câmara dos Deputados.

Janete contestou o argumento do Governo do Estado de que faltam recursos para pagar o valor de meio salário mínimo mensal às mães do Renda. “Em 2015, o Governo do Amapá recebeu R$ 99 milhões a mais do que em 2014. Em 2016, são R$ 463 milhões a mais! Ou seja, o governo mente quando diz que os repasses caíram”. A deputada calcula que R$ 107 milhões – menos de ¼ do que o GEA recebeu a mais – são suficientes para pagar a bolsa mensal de meio salário mínimo, hoje equivalente a R$ 468,50, mais que os R$ 311,00 anunciados por Waldez, alerta Janete.

A socialista lembra que “no final do governo Camilo Capiberibe, (o Renda) injetava perto de R$ 7 milhões mensais na economia. Em 2015, o governador Waldez cortou 3 mil beneficiárias e, em 2016, excluiu mais 12 mil 137 mães, restando 3.863 no programa. 15 mil 137 famílias foram abandonadas, sem receber o Renda”, denuncia, para afirmar que essa política paralisou a economia do Amapá.

“Além de levar o mínimo de dignidade a milhares de famílias amapaenses, (o Renda) faz girar a economia, movimentando os comércios de bairro, que chamamos mercantis, gerando mais empregos e beneficiando a sociedade como um todo”.

O Renda Pra Viver Melhor é um programa de renda mínima criado em 1996, no primeiro governo do PSB no Amapá, com o nome de Bolsa Cidadã, dando condições às famílias que vivem abaixo da linha da pobreza para atender suas necessidades básicas, prioritariamente a alimentar.

Janete disse ainda que o governador Waldez escolheu “o pior caminho” quando demitiu cerca de mil trabalhadores terceirizados da vigilância patrimonial da Secretaria de Educação e que, por isso, as escolas das três maiores cidades – Macapá, Santana e Laranjal do Jari – estão sendo sistematicamente assaltadas.

“As pessoas são feitas de carne e osso. De coração e emoção. Penalizar os mais pobres, que mais precisam de proteção do Estado quando estão mais vulneráveis, é um ato desumano, de extrema covardia”.
Para Janete, as “medidas que o Governo do Estado atribui ao enfrentamento da crise têm penalizado a população mais pobre. Semelhante ao que faz o Governo Federal”.
Assista aqui o discurso da deputada Janete Capiberibe.

Sizan Luis Esberci
Gabinete da deputada federal Janete Capiberibe – PSB/AP
61 3215 5209
Foto: Guilherme Martimon/Liderança do PSB

Últimas Notícias

Atuação Política

Cadastre-se para receber as últimas novidades da Deputada Janete Capiberibe.

Contato

...